Capítulo 22- O Diário de Lia Lee... Sem mais palavras


Aquele seria um simples fim de tarde se não fosse o som de tiro rompendo a monotonia. Eu estava deitada em meus aposentos quando suspirei assustada, levantei-me bruscamente e segui em direção à janela. Forcei meus olhos mirando-os nos portões da fazenda, havia um movimento suspeito de homens e escravos.
Naquele instante, eu agradecia a Deus pela posição estratégica na qual eu me encontrava.
Da minha janela, pude avistar um corpo morto estendido na estrada de terra... Era um feitor, acredito eu...
Para minha surpresa, Lara Lee estava próxima a confusão juntamente com dois outros capatazes tentando impor a ordem. Na ausência de meu pai, minha odiada irmã incorporava uma personalidade que destoava de sua criação, que destoava de sua beleza e delicadeza... Lara estava possuída por um profundo desejo de nos defender, de defender nossas terras.
Naqueles tempos difíceis de guerra, era possível ouvir bochichos de outros escravos falando a respeito de liberdade. Betina quase nunca falava... mas sabia de tudo o que se passava além dos jardins... os cativos estavam fugindo na calada da noite... Quem os impediria?
Mas minha depressão me mantinha inerte, o isolamento ao qual eu me submetia me impedia de correr em direção a Lara. Ela haveria de cuidar do alvoroço sozinha... enquanto eu não tivesse noticias de Edward Lancaster mais nenhum assunto me seria incômodo.

1 comentários:

Hamilton H. Kubo disse...

Engraçado seria se não fosse trágico, o que faz uma saudade de uma amor querido.

Postar um comentário

 

Design in CSS by Nana França and sponsored by Mitsuyia
...E Nada é Para Sempre created by ...E Nada é Para Sempre