Capítulo 14- Um Novo Mundo

As árvores pingavam as últimas gotas da chuva da tarde e as plantas permaneciam encharcadas dançando ao sabor do vento. Os grilos e os sapos e todos os bichinhos escondidos nas mais obscuras tocas, ousavam competir entre si emitindo seus próprios barulhinhos, mas a voz do homem se calava. Todos dormiam!
- “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe e faça resplandecer o seu rosto sobre nós!" Salmo 67.1-2

(...)Olharam-se fixamente durante um breve momento enquanto a jovem perdia as forças... Suspirou... Já não sentia mais o vento da noite apenas o calor que os unia.

2 comentários:

Tania Girl disse...

Ai que perfeito!!! *-*
continua...

Juh soy... disse...

Elaine, menina do céu!
Adoro romances proibidos...
Totalmente lindo!

Postar um comentário

 

Design in CSS by Nana França and sponsored by Mitsuyia
...E Nada é Para Sempre created by ...E Nada é Para Sempre