Capítulo 2- Entre Dois Mundos

Mais uma manhã cruel e ensolarada nascia na vida daqueles que não possuíam a liberdade. Nas plantações e nas estradas de areia, os escravos trabalhavam arduamente, no sol que começava a queimar, a derreter, a fazer pingar o suor, a raiva, o desejo de um dia ser livre.
A enxada e a foice eram seus instrumentos, as palavras suas armas retidas pela violência dentro do peito. O ritmo dos movimentos produzia música para os ouvidos do capataz que sorria, sorria!
(Retirado para a proteção dos direitos autorais)Os raios de sol podiam penetrar levemente através das frestas das janelas do quarto de Lara, a moça rica e entediada não possuía maiores preocupações do que as normais para uma dama de sua época e posição social.

4 comentários:

Liza disse...

Ain, eh muito triste a escravidão =/ Ainda bem que acabou e todos somos iguais, apesar de ainda existir preconceito, que eu espero que acabe bem rapidinho tbm *o*
Linda sua historia, flor
Bgos :*

Jυℓyαnα ツ disse...

Cada vez mais essa história me interessa e seduz...
Seja pela forma como vc a escreve ou seu próprio conteudo excelente...
Aborda um tempo e formas de pesamento que prendem minha atenção e conquistam meu fascinio...
Seu talento é indiscutivel...
Parabéns e obrigada por ler o meu blog *-*
Vc não sabe como fico feliz ao ler cada comentário...
E pode deixar...
Eu não vou abandonar o blog...
Só estou meio mal e por isso sem inspiração[só escrevo umas coisa tristes de mais ;p]
Bejãooo ;*

Mel disse...

Eu achava que era Lara que estava dizendo ...
Mas no final percebi que não.

Bom hoje só vou poder ler mesmo a página 3 :(
Até o próximo episódio hihi
Beijo..

Mel disse...

Ué, agora eu que estou perdida.
Já tinha lido essa página???
auhsuahsuaha
Tudo bem, não faz mal, li novamente... :D

Beijos

Postar um comentário

 

Design in CSS by Nana França and sponsored by Mitsuyia
...E Nada é Para Sempre created by ...E Nada é Para Sempre