Capítulo 13- A Mais Profunda Dor

- Me falta o ar, mas eu hei de completar o desejo de meu coração. Preciso falar... Edward, como pode ser tão cego? Como pode ser o mais cego dentre os seres. Eu não posso mais me torturar, eu preciso anunciar que... Eu te amo! Eu te amo, criatura cega...
Lia temeu a morte diante de tais palavras que desafiavam as leis impostas pela sociedade, por sua família, por seu pai. Edward não pertencia a ela, mas a morena dos olhos expressivos ousava lutar por seus desejos reprimidos. Levantou a voz e continuou num tom que exalava segurança e ao mesmo tempo a maior das inseguranças.
- Eu te amo, Edward!
- Lia...
(...)Prezo pelo sua amizade, minha querida irmã.

2 comentários:

Tania Girl disse...

Ai que ódio!!!!
Esward é um tolo....
mas ninguém escolhe o amor né?Ele acontece apenas...
bjos

Juh soy... disse...

Que fora!
Irmã???
Cara... Esse cara realmente nasceu no século passado,fala sério! Ela lá, toda apaixonada e ele dá um fora desses!
Só falatava o beijo na testa!
Sem comentários... Coitada!

Postar um comentário

 

Design in CSS by Nana França and sponsored by Mitsuyia
...E Nada é Para Sempre created by ...E Nada é Para Sempre